Pular para o conteúdo principal

Inúkògún - Aquele que é Torto por Dentro


Às vezes a vida segue rumo à encruzilhada, onde as decisões precisam ser tomadas, e ao tomar as decisões erradas o diabo é quem é culpado – e o diabo se transforma na idéia de inimigos, tanto no singular como no plural. A conclusão ‘lógica’ é que estamos sob ataque e magia é a solução. Mas esta lógica muito frequentemente pertence à sociedade material e aos mecanismos, igualmente modernos, da psicologia.
Às vezes as pessoas estão realmente sob as sombras de algo maléfico, mas estes casos são raros – mais comumente estes são casos de auto-maldição. Estes são tipicamente notados pela inquietude, raiva e paranóia.
Estes poderes motivam a pessoa afligida a buscar uma solução mágica, sem perceber que uma solução mágica aplicada a situações como estas são como cortar uma árvore com um martelo – tende a carecer de precisão, desde que a raiz da condição não é atingida e sim um amontoado de efeitos.
O auto-amaldiçoado típico é mencionado nos Odù Ifá, em omodu ìkáwòrì, onde Ifá fala de uma pessoa chamada Inúkògún, cujo nome é traduzido como “aquele que é torto por dentro”, como um contraste da retidão de um poste de ferro, em referência a Ògún.Este verso de Ifá conta que Inúkògún é “o mutilador de si próprio, aquele que age contra si próprio”. Ele age contra si ao tramar formas de prejudicar e lançar malefícios contra outros, e o verso diz contra isto que “Aquele que lança cinzas é seguido por estas cinzas”. Esta condição é típica para muitas pessoas que procuram auxílio mágico, especialmente onde as presenças dos inimigos se encontram. Inimizade é sempre causada pelo antagonismo entre duas artes que estão desproporcionais e são experimentadas como em conflito ontológico. Mas não há conflito ontológico, somente medidas erradas.
Outro verso de Ifá, Ejì Ogbè, nos conta como a distância das pontas dos nossos dedos aos nossos cotovelos são diferentes da distância dos ombros até os pés, em admoestação a se pensar claramente antes de agirmos, e uma admoestação a não “agarrar nossa boa fortuna com pressa”. Ao invés disto, este verso de Ifá nos conta que devemos nos mover ao redor do mundo “com dignidade e movimento medido”. Então, se não existem inimigos, somente maus julgamentos na percepção da medida da pessoa, qualquer ato de malefício que parte dela mesma passa a ser realmente lançar cinzas contra o vento e se colorir em seu próprio medo e paranóia. Então, não se amaldiçoe, abençoe-se, e então você poderá trazer dignidade para sua vida pelos movimentos medidos. Ase O.


Por Nicholaj Frisvold

Postagens mais visitadas deste blog

A Quimbanda FAQ

In this article I will try to answer some questions concerning Quimbanda that surfaces with frequency. Questions concerning how to work this cult solitary and somehow dislocated from the cultural climate of understanding here in Brazil are frequently asked as are questions concerning the magical tools, such as guias, patuás and statues, available to the general public.
I want to be initiated in Quimbanda, how do I proceed with that? When we speak of initiation in the perspective of Quimbanda we are speaking of a true and intense merging with spirit that involves a pact/agreement, a spirit vessel (assentamento), ordeal and oath. There are elements used in this process that are common to every house/terreiro/cabula/lineage of Quimbanda that reveals a common origin. There are different varieties of Quimbanda in Brazil, and the expression of the common root, will always depend of the constellation of spirits we find in the tronco. In other words, a ‘Casa de Exu’ that is dominated by Exu Mor…

The ‘firmeza’ of Quimbanda

Quimbanda is a cult centred on the direct and head on interaction with spirit, hence developing mediumistic skills and capability in spirit trafficking is integral and vital to working Quimbanda. Possession is a phenomenon that intrigues and also scares. After all we have all seen movies like The Exorcist and other horror thrillers giving visual spectacles to how hostile spirits can take over the human body, mind and soul in intrusive and fatal ways. But possessions do find a counterpart in the shamanic rapture as much as in the prophet whose soul is filled with angelic light that makes him or her prophetic. Possession is not only about the full given over of your material vessel to a spirit that in turn uses the faculties of the medium to engage various forms of work. Inspiration, dream and to be ‘under the influence’ are potentially valid and worthy avenues for connecting with spirit. Yet another avenue for good spirit trafficking is the communion, or what Jake Stratton-Kent calls ‘…

A Witchy Night at the Shores of the Danube

Just at the South of the Carpathian mountains where the river Danube flow through the centre of Balkan, Serbia, surrounded by Romania, Bulgaria, Macedonia and a whole network of history told in these lands and amongst its neighbors. Roman, Byzantine and Ottoman remains still linger on as drafts of a memory remarkably close in this land rich in lore and myth. This is the land of the dragon people and it was here the dragon Lucifer is said to have fallen. The river Danube is the home of prehistoric strains of Beluga and several other emissaries of Dagon himself that keep even the water rich in legend and dragon lore. So, here at the shores of Danube the cunning meeting between two witches took place in the days prior to the summer tide washing over the land scolding people, land and waters with its fiery rays. The shores of Dagon’s veins seems a most proper canvas for sharing some parts of our conversations in the form of an interview with Radomir Rade Ristic, author of the book Balkan …