12/04/2011

O Começo da Sabedoria

Tornar-se sábio é uma conseqüência de uma vida vivida com interesse. Trata-se de aproximar os sinalizadores de nossa vida com interesse. Acredito que a sabedoria começa com amor, honestidade, amor e honra, pois se reflete no humilde interesse que partilhamos com os nossos pares. O que compartilhamos com todos é esta jornada como seres divinos em forma humana.

Vários de nós viajam através do mundo de mistério, experiência e abundância montados em cavalos de ansiedade e de restrição. Estes não são bons cavalos. Estes são os cavalos que sempre procuram o retorno aos seus celeiros enlameados da segurança. A segurança é boa, mas deve ser enriquecida pelas experiências que realizamos em nossa jornada.

É na própria jornada que encontramos abundância, sabedoria e pessoas. São os homens e mulheres em nossa jornada que trazem toda a sabedoria que nos tornam abundantes. Em cada encontro com uma pessoa somos confrontados com restrição e abundância, manter ou doar. É a mão esquerda que duela com a mão direita.

Como o eterno caduceu que somos, é aquilo que corre ao longo da nossa espinha, e com o qual escolhemos nossas serpentes, seja para matar ou para curar. Eu escolhi minha serpente a carregar o nome de Amor - e com isso chega a angústia, a decepção e a agonia, o feliz veneno que salta à garganta do Amor. Esta angústia que o Amor traz é profunda e é um encontro constante com os outros e comigo mesmo. Em sua experiência de Amor você encontra a você mesmo e aos outros enrodilhados em inimizade e desejo.

A sinalização na estrada está onde você pode tomar lições do que é bom daqueles que nada possuem e ser melhor do que aqueles que possuem mais do que você possui. Por que melhor? É ser melhor porque boas pessoas são uma benção ao mundo, desde que servem como espelhos, elas servem como espelhos de abundância e reconhecimento. Porque ser bom traz uma pessoa ao discurso com o Destino! Deste encontro com Destino o conhecimento é estabelecido – o conhecimento sobre sua essência é revelado em seu encontro com o mundo. É aqui o princípio da sabedoria é revelada - como um abraço, como um chicote, como reconhecimento.

O mundo é sempre um espelho para aquele que busca sabedoria, e o espelho deve ser feita de beleza e amor para refletir a verdade. Falhando nisto, o espelho é apenas uma terapia material de distorções profanas que realmente não fazem parte do belo design da busca humana pela sabedoria. Quando nos encontramos, se este encontro é um daqueles interessantes o encontro vai ser bom, porque não haverá nenhuma batalha por superioridade, apenas o interesse mútuo em abundância. Porque precisamos ver nossos companheiros de jornada como abundância, eles são o que encontramos em maioria em nossa jornada.

Se fizermos nossa jornada em Amor, também encontraremos humildade, porque sabemos que o panorama é sempre maior do que nossa encarnação limitada. Somos a abundância um do outro, para melhor ou para pior. Acredito que cada pessoa que encontramos é consumida pelo Amor.

Amor é intoxicação, um vinho bem estocado…
... e alguns devem ficar bêbados da angústia do velho vinho, enquanto o outro o toma em beleza e se torna um profeta...
...As uvas do vinho, a ametista que traz a intoxicação do espírito...
...Está todo lá, o amor...
...o amor que espelha o divinho e o amor que te espelha!

É Amor e é Eros, uma vez que segue a direção de suas paixões, da necessidade que você tem pelo inferior ou celestial. Trata-se do espelho, seja do céu ou de um lago lamacento que você se engana como se fosse sua individualidade. É aqui, no espelho, que a sabedoria se inicia em sua reflexão de honra e hubris, orgulho e a humildade.

Tendo a isto dito, absinto é doce que é dado pelas mãos de um amigo - e amor e humildade devem lhe inspirar a noção do absinto vinda de um amigo assim como de um inimigo, desde que tudo faz parte de nossos primeiros passos na jornada rumo à sabedoria. Quando encontramos sabedoria nossos lábios se abrem, e falamos palavras de beleza – e de amor, e nos tornamos humilde no encontro com nosso próprio reflexo, porque vemos o amor no espelho do recolhimento humilde. Vemo-nos, nossos encontros, as nossas falhas e através deste, o caminho adiante...

…É esta aceitação honesta de nosso espelho que mora a honra, o amor e o começo da sabedoria.